DEUS NÃO É RELIGIÃO OU SEITA, POIS RELIGIÕES E SEITAS SÃO COISAS DOS HOMENS E MULHERES, COMO AS CRENDICES.

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. João 8:32 - Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade. João 17:17 - Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim tem a vida eterna. João 6:47 - Porque nada podemos contra a verdade, senão pela verdade. 2 Coríntios 13:8.


O AMOR DE DEUS PARA COM OS SERES HUMANOS, É ABSOLUTAMENTE INCONDICIONAL, POIS OS CRIOU A SUA IMAGEM E SEMELHANÇA EM ESPÍRITO, E NÃO PODE NEGAR-SE A SI PRÓPRIO.


www.palavra10.com, é o maior site de receitas culinárias do mundo. São aproximadamente 1.500.000 receitas culinárias, com fotos dos pratos  (alimentos preparados). Clicando nas fotos você verá as receitas e os modos de preparos, entre outras orientações e divulgações. Neste site você encontra orientações pessoais, que se tornam uma autoajuda necessária para os problemas pessoais diários. Confira tudo.

 COMPARTILHE O SITE www.palavra10.com COM SEUS AMIGOS E PARENTES.


 CRIAÇÃO DA RAÇA HUMANA RACIONAL
Existem dois períodos distintos e importantes na criação da vida humana. 1º Período: Antes da criação do homem racional (pré-história) e 2º Período após a criação do homem racional, este último citado na Bíblia, em Gênesis Capítulo 1º (criação dos espíritos do homem e da mulher), e Gênesis, Capítulo 2º (criação dos corpos do homem e da mulher). É muito grande a falta de entendimento dos Ciêntistas e dos Religiosos, tornado-os radicais.


AJUDE A MANTER ESTE WEBSITE, DEPOSITE QUALQUER QUANTIA NA CONTA POUPANÇA DO BANCO DO BRASIL Nº 35.747-2, AGÊNCIA Nº 0869-9.

 

  

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
PALAVRA10
O QUE VOCÊ ACHA DESTE SITE?
ÓTIMO
BOM
REGULAR
Ver Resultados

Rating: 2.9/5 (5430 votos)




ONLINE
5





Partilhe esta Página





 

 


JESUS CRISTO-N.T. REVOGOU AS LEIS DE DEUS-V.T.?
JESUS CRISTO-N.T. REVOGOU AS LEIS DE DEUS-V.T.?

Jesus Revogou as Leis do Antigo

Testamento?

 

Uma leitura superficial de alguns versículos apresenta uma dificuldade, até dando a impressão de uma contradição nas Escrituras. Alguns religiosos aproveitam esta suposta contradição para negar claras afirmações sobre o anulamento da Lei dada aos israelitas no monte Sinai.

Em Mateus 5:17-18, Jesus disse: “Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas, não vim para revogar, vim para cumprir. Porque em verdade vos digo, até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra.” Alguns citam esta afirmação para tentar obrigar as pessoas de hoje a guardarem o sábado e outros mandamentos da Antiga Aliança.

Para compreender este comentário de Jesus, precisamos prestar atenção especial a três palavras que ele usou. A palavra revogar vem de uma palavra grega que significa derrubar, subverter ou destruir. Jesus não veio para subverter a Lei, ele veio para cumprir. A palavra traduzida cumprir significa completar, levar até o fim, realizar ou obedecer. Jesus não pretendia subverter a lei, ele pretendia cumpri-la, assim a levando até o seu determinado fim. A terceira palavra importante é a preposição até. Os céus e a terra poderiam passar, mas a lei não passaria até ser cumprida. Esta palavra (traduzida até, até que, ou enquanto) significa algo que chega até um certo ponto e termina. Deus falou para José ficar no Egito até que ele fosse avisado (Mateus 2:13). José não “conheceu” Maria “enquanto ela não deu à luz um filho” (Mateus 1:25). Na morte de Jesus, houve trevas até à hora nona (Lucas 23:44). A Lei não perdeu sua força até ser cumprida por Jesus.

O autor de Hebreus usou uma palavra diferente, embora traduzida em algumas Bíblias pela mesma palavra portuguesa, quando disse: “Portanto, por um lado, se revoga a anterior ordenança, por causa de sua fraqueza e inutilidade (pois a lei nunca aperfeiçoou coisa alguma), e, por outro lado, se introduz esperança superior, pela qual nos chegamos a Deus” (Hebreus 7:18-19). Revogar, neste trecho, significa anular, abolir, ou remover. No mesmo capítulo, ele falou da mudança (ou remoção) da lei (Hebreus 7:12).

Os cristãos não estão “subordinados” à Lei (Gálatas 3:24-25). Mesmo os cristãos judeus, que estavam sujeitos à lei, foram libertados dela (Romanos 7:6). O escrito da dívida foi removido inteiramente na cruz, pois Jesus cumpriu aquela Lei (Colossenses 2:14). Após a morte do Testador, a Nova Aliança tomou seu lugar (Hebreus 8:6-13; 9:15-17). 

Jesus não subverteu a Lei do Antigo Testamento; ele cumpriu e removeu aquela e nos deu a Nova Aliança.

 GUIAS DOS FILHOS DE ISRAEL

 

É óbvio que não podemos iniciar um tratamento de toda a amplitude da lei num artigo breve como este.  Já que o tema em que este artigo se encaixa é o propósito eterno de Deus, restringiremos os nossos comentários referentes à lei, ao papel que ela desempenha no grande plano de Deus.

Guia.  O Antigo Testamento deixa bem claro que a lei de Moisés foi dada para guiar os filhos de Israel no caminho da justiça.  O Salmo 119 inteiro dedica-se a ensinar essa ideia.  "Bem-aventurados os que guardam as suas prescrições e o buscam de todo o coração; não praticam iniquidade e andam nos seus caminhos" (Salmo 119:2-3).

Nos discursos maravilhosos de Moisés nas planícies de Moabe (registrados em Deuteronômio), ele falou sobre os mandamentos de Deus:  "Guardai-os, pois, e cumpri-os, porque isto será a vossa sabedoria e o vosso entendimento perante os olhos dos povos que, ouvindo todos estes estatutos, dirão:  Certamente, este grande povo é gente sábia e inteligente.  Pois que grande nação há que tenha deuses tão chegados a si como o Senhor, nosso Deus, todas as vezes que o invocamos?  E que grande nação há que tenha estatutos e juízos tão justos como toda esta lei que eu hoje vos proponho?" (Deuteronômio 4:6-8).

O objetivo da lei, então, era fazer o bem.  "O Senhor nos ordenou cumpríssemos todos estes estatutos . . . para o nosso perpetuo bem" (Deuteronômio 6:24).

2.  Entendimento do caráter de Deus.  Sempre foi o desejo de Deus que seus filhos participassem de sua natureza divina (2 Pedro 1:4).  Para isso, entretanto, seus filhos tinham de conhecer o caráter do Pai.  Antes de Jesus vir e manifestar a vida que estava com o Pai (1 João 1:2), Deus manifestou na lei o seu caráter.

Deus disse a Israel que, para que Deus fosse seu Deus e Israel fosse o povo de Deus, Israel teria de obedecer aos mandamentos e aos estatutos divinos.  Deus não exigia essa obediência como algo arbitrário; exigia-a porque a obediência de bom grado e com amor de sua lei por parte do povo o tornaria o tipo de povo que poderia ser o seu povo.  Mas a obediência do povo não se concretizava.  A maior parte de Israel não enxergava a lei como um guia para mostrar-lhe o caráter de Deus, o qual eles deviam imitar, e essa é a principal razão de Israel violar a sua aliança com Jeová (Jeremias 11:3-6, 10).

3.  Santidade.  A lei tinha por objetivo ensinar importantes lições ao povo de Deus.  Uma das lições era a santidade de Deus, a qualidade especial de Deus oriunda de seu caráter singular.  Não havia Deus como Jeová. Para que os homens sejam povo de Deus, devem também ser santos.  Em Levítico 18-26, pelo menos 43 vezes Deus diz:  "Faça isso porque eu sou Jeová".  O que queria dizer era:  "Serei santificado [considerado especial] no meio dos filhos de Israel:  Eu sou o Senhor, que vos santifico" (Levítico 22:32).  Enquanto permaneceu essa santidade recíproca, Deus disse:  "Andarei entre vós e serei o vosso Deus, e vós sereis o meu povo" (Levítico 26:12).  Em Levítico, Deus também ensinou a idéia de que a purificação da contaminação acontecia por meio da limpeza, ao passo que a santidade se preservava por estar em harmonia com a vontade de Deus.  O homem é imundo quando viola a lei de Deus.

4.  Perdão.  A lei de Moisés realmente ensinava o perdão e dava condições para que ele existisse (Levítico 4:20, 26, 31, 35; 5:10, 13, 16, 18).  Quando Israel pecava, havia estipulações que tinham de cumprir para alcançarem o perdão.  Aliás, a maior lição ensinada no monte Sinai, na rebelião de Israel, foi que Deus e o homem só podem habitar juntos porque Deus é um Deus de misericórdia e está disposto a perdoar (Êxodo 32:7, 9-10; 32:30-35; 33:3; 34:9).

Os sacrifícios de animais, prescritos na lei, não conseguiam, por si só, apagar a culpa do homem (Hebreus 10:4), mas a oferta daqueles sacrifícios era um ato de fé S fé na redenção que Deus prometeu.  Ainda que o Cristo só fosse visto com dificuldade na lei, a promessa de sua chegada já estava firmemente arraigada e continuava a ser mais claramente prenunciada ao longo de todo o período restante do Antigo Testamento.  A fé exercida pelo povo quando este oferecia os sacrifícios exigidos por Deus era basicamente a fé no redentor escolhido por Deus.

O povo recebia o perdão quando oferecia os sacrifícios, mas havia uma dívida a ser paga por ter deixado impunes os pecados cometidos anteriormente, pela tolerância de Deus, e foi Jesus quem pagou essa dívida (Romanos 3:25).

5.  Guardião.  A lei servia de professor, na verdade de pedagogos, em geral um escravo que cuidava dos filhos de seu senhor, para contar ao pai qualquer procedimento repreensível que fosse necessário ser tratado pelo pai.  A lei era formulada por causa da transgressão, ou seja, para tratar da transgressão, ou, como afirma Robertson Nicoll:  "Para acabar com o culto aos falsos deuses, com a idolatria, com a blasfêmia, com a violação do sábado, com a desobediência aos pais, com o assassínio, com o adultério, com o roubo, com o falso testemunho, com a inveja".

Para os judeus, a lei existia para conscientizá-los do pecado, do que era o pecado e para impedir-lhes de pecar. Os problemas que os judeus tinham com a lei e os problemas que os escritores do Novo Testamento tiveram de tratar não provinham da lei na forma que Deus a deu, mas originava-se na lei distorcida pelo homem, o qual buscava torná-la em algo que jamais foi um Salvador.

 

Deveriam os Cristãos Guardar o Sábado Hoje em Dia?

 

O Que a Bíblia Diz?

No Velho Testamento, Deus ordenou aos israelitas que santificassem o dia do sábado e não trabalhassem nesse dia.  Deveriam os cristãos de hoje, também, descansar  e adorarno dia do sábado?  Muitos grupos religiosos (Adventistas do Sétimo Dia, por exemplo) ensinam que deveríamos.  O que a Bíblia diz?

Em Êxodo 20:8-11 Deus ordenou aos judeus que guardassem o dia do sábado (veja nota 1).  No Novo Testamento, vemos que as leis do Velho Testamento eram para continuar somente até a morte de Cristo.  (Nas passagens seguintes, a ênfase está acrescentada para esclarecer o sentido).

Efésios 2:14-15

"Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derrubado a parede da separação que estava no meio, a inimizade, aboliu na sua carne a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse em si mesmo um novo homem, fazendo a paz."  Esta passagem mostra que Cristo aboliu a "lei dos mandamentos".  Desde que a guarda do sábado era um  destes mandamentos, e não foi incluída no Novo Testamento, não necessitamos guardar o sábado.

Romanos 7:4-7

"Assim, meus irmãos, também vós morrestes relativamente à lei, por meio do corpo de Cristo, para pertencerdes a outro, a saber, aquele que ressuscitou dentre os mortos, e deste modo frutifiquemos para Deus.  Porque, quando vivíamos segundo a carne, as paixões pecaminosas postas em realce pela lei, operavam em nossos membros a fim de frutificarem para a morte.  Agora porém, libertados da lei, estamos mortos para aquilo a que estávamos sujeitos, de modo que servimos em novidade de espírito e não na caducidade da letra.  Que diremos pois?  É a lei pecado?  De modo nenhum.  Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça, se a lei não dissera:  Não cobiçarás."  Esta passagem claramente diz que morremos para a lei e estamos, portanto, "libertos da lei".  A lei de que Paulo falava incluía os dez mandamentos, porque no versículo 7 ele citou: "Não cobiçarás" como uma das leis. (Veja Nota 2).

2 Coríntios 3:6-11

"O qual nos habilitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica.  E se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, se revestiu de glória, a ponto de os filhos de Israel não poderem fitar a face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, ainda que desvanecente, como não será de maior glória o ministério do Espírito?  Porque se o ministério da condenação foi glória, em muito maior proporção será glorioso o ministério da justiça.  Porquanto, na verdade, o que outrora foi glorificado, neste respeito já não resplandece, diante da atual sobre excelente glória.  Porque, se o que se desvanecia teve sua glória, muito mais glória tem o que é permanente."  Aqui Paulo está comparando o ministério da morte e da condenação com o ministério do Espírito e da justiça.  O ministério da morte estava desaparecendo, mas o ministério do Espírito estava continuando.  Mas qual era o ministério da morte e da condenação que estava desaparecendo?  Era o ministério "gravado com letras nas pedras".  Se cremos no Novo Testamento, temos que acreditar que a revelação escrita nas pedras, no Velho Testamento (os dez mandamentos), já morreu. Esta passagem afirma isso claramente.

Gálatas 3:15-5:4

Gálatas 3:19­  "Qual, pois, a razão de ser da lei?  Foi adicionada por causa das transgressões, até que viesse o descendente a quem se fez a promessa, e foi promulgada por meio de anjos, pela mão de um mediador."  Se a lei foi acrescentada até que Cristo veio, então o domínio da lei parou quando Cristo veio.

Gálatas 3:24-25­  "De maneira que a lei nos serviu de aio para nos conduzir a Cristo, a fim de que fôssemos justificados por fé.  Mas, tendo vindo a fé, já não permanecemos subordinados ao aio."  A lei foi nosso instrutor, para levar-nos a Cristo, mas agora que Cristo veio, "já não permanecemos subordinados ao instrutor".

Gálatas 4:1-5­  "Digo, pois, que durante o tempo em que o herdeiro é menor, em nada difere de escravo, posto que é ele senhor de tudo.  Mas está sob tutores e curadores até ao tempo predeterminado pelo pai.  Assim também nós, quando éramos menores, estávamos servilmente sujeitos aos rudimentos do mundo; vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos."  A lei foi dada para a infância do povo de Deus.  Cristo veio para nos adotar como filhos e redimir-nos da lei.

Gálatas 4:24,31­ "Estas cousas são alegóricas: porque estas mulheres são duas alianças; uma, na verdade, se refere ao monte Sinai, que gera para escravidão; esta é Hagar. . . .  E assim, irmãos, somos filhos não da escrava, e, sim, da livre."  Neste trecho, Paulo compara a lei dada no Sinai com Hagar (a mulher escrava), e a nova aliança com Sara (a esposa livre).  Ele diz claramente que somos da mulher livre e não da mulher escrava.  Portanto, estamos sob a nova aliança e não sob a aliança do Monte Sinai, que incluiu os dez mandamentos.  Por favor, estude cuidadosamente este assunto, por completo.
Gálatas 5:4­  "De Cristo vos desligastes vós que procurais justificar-vos na lei, da graça decaístes."  A consequência da volta para a lei é que decaímos da graça.

Hebreus 7-10

Hebreus 7:12­  "Pois, quando se muda o sacerdócio, necessariamente há também mudança de lei."  A lei foi mudada.

Hebreus 7:18-19­  "Portanto, por um lado, se revoga a anterior ordenança, por causa de sua fraqueza e inutilidade (pois a lei nunca aperfeiçoou cousa alguma) e, por outro lado, se introduz esperança superior, pela qual nos chegamos a Deus."  A antiga aliança foi revogada.

Hebreus 8:7-13­  "Porque, se aquela primeira aliança tivesse sido sem defeito, de maneira alguma estaria sendo buscado lugar para segunda.  E, de fato, repreendendo-os, diz:  Eis aí vêm dias, diz o Senhor, e firmarei nova aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá, não segundo a aliança que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os conduzir até fora da terra do Egito; pois eles não continuaram na minha aliança, e eu não atentei para eles, diz o Senhor.  Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o Senhor.  Nas suas mentes imprimirei as minhas leis, também sobre os seus corações as inscreverei; e eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.  E não ensinará jamais cada um ao seu próximo, nem cada um ao seu irmão dizendo:  Conhece ao Senhor; porque todos me conhecerão, desde o menor deles até ao maior.  Pois, para com as suas iniquidades usarei de misericórdia, e dos seus pecados jamais me lembrarei.  Quando ele diz Nova, torna antiquada a primeira.  Ora, aquilo que se torna antiquado e envelhecido, está prestes a desaparecer."  Temos uma nova aliança.  Por que voltar para a velha?

Hebreus 9:4­  "Ao qual pertencia um altar de ouro para o incenso, e a arca da aliança totalmente coberta de ouro, na qual estava uma urna de ouro contendo o maná, a vara de Arão, que floresceu, e as tábuas da aliança."  A aliança a que ele tem se referido inclui as "tábuas da aliança": os dez mandamentos.

Colossenses 2:16-17

"Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados, porque tudo isso tem sido sombra das cousas que haviam de vir; porém o corpo é de Cristo."  Talvez seja este o texto mais importante de toda esta discussão, porque ele claramente menciona o dia do sábado como parte da sombra que foi substituída por Cristo. (Veja Notas 3 e 4).  O sábado não é, para nós, hoje, mais  parte do padrão de Deus do que a conservação do festival da lua nova.  Ambos foram partes da aliança do Velho Testamento, que foi substituída pela nova aliança de Cristo. 

Os cristãos de hoje têm que seguir o Novo Testamento, que não ordena que qualquer dia seja completamente posto de lado como um dia de descanso, mas sim, mostra o padrão dos cristãos reunindo-se para adorar juntos nos domingos (Atos 20:7; 1 Coríntios 16:1:2).  (Veja Notas 5 e 6).

Nota 1:

O sábado era só para os judeus.

Muitas passagens mostram que o mandamento para guardar o sábado foi dado somente aos judeus.  Por exemplo:

· Êxodo 31:12-18­  "Disse mais o Senhor a Moisés:  Tu, pois, falarás aos filhos de Israel, e lhes dirás:  Certamente guardareis os meus sábados; pois é sinal entre mim e vós nas vossas gerações; para que saibais que eu sou o Senhor, que vos santifica.  Portanto guardareis o sábado, porque é santo para vós outros:  aquele que o profanar, morrerá; pois qualquer que nele fizer alguma obra será eliminado do meio do seu povo.  Seis dias se trabalhará, porém o sétimo dia é o sábado do repouso solene, santo ao Senhor; qualquer que no dia do sábado fizer alguma obra morrerá.  Pelo que os filhos de Israel guardarão o sábado, celebrando-o por aliança perpétua nas suas gerações.  Entre mim e os filhos de Israel é sinal para sempre; porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, e ao sétimo dia descansou e tomou alento.  E, tendo acabado de falar com ele no monte Sinai, deu a Moisés as duas tábuas do testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo dedo de Deus."  Aqui ele afirmou que o sábado era entre Deus e os filhos de Israel.

· Deuteronômio 5:1-3, 12­  "Chamou Moisés a todo o Israel, e disse-lhe:  Ouvi, ó Israel, os estatutos e juízos que hoje vos falo aos ouvidos, para que os aprendais e cuideis em os cumprirdes.  O Senhor nosso Deus fez aliança conosco em Horebe.  Não foi com nossos pais que fez o Senhor esta aliança, e, sim, conosco, todos os que hoje aqui estamos vivos...Guarda o dia de sábado, para o santificar, como te ordenou o Senhor teu Deus."  A aliança que incluía o dia do sábado foi exclusivamente feita com os israelitas e com ninguém mais.

· Ezequiel 20:10-12­  "Tirei-os da terra do Egito e os levei para o deserto.  Dei-lhes os meus estatutos, e lhes fiz conhecer os meus juízos, os quais cumprindo-os o homem, viverá por eles.  Também lhes dei os meus sábados, para servirem de sinal entre mim e eles, para que soubessem que eu sou o Senhor que os santifica." Aqueles a quem a lei do sábado foi dada foram o povo de Israel, aqueles que foram resgatados do Egito.

Às vezes, os adventistas mostram que Deus descansou no sétimo dia da criação (Gênesis 2:1-3).  E daí eles deduzem que aos homens foi ordenado que  guardassem o sábado desde o tempo da criação.  Mas nenhuma passagem afirma isso.  De fato, a primeira vez que lemos sobre homens guardando o sábado, ou  um mandamento para os homens guardarem o sábado, é em Êxodo 16, depois que Moisés tinha guiado os israelitas para fora do Egito.  Gênesis 2 mostra que Deus descansou no sétimo dia, mas não ordena que os homens guardem o sétimo dia.  De fato, a Bíblia nunca ordenou aos gentios que guardassem o sábado ­ somente os judeus ­  desde o tempo de Moisés até Cristo.
Nota 2:

Há diferença entre lei moral e lei cerimonial

No Novo Testamento mostra que os cristãos não estão mais sob a obrigação de guardar a lei do Velho Testamento.  Os adventistas e outros tentam escapar do significado destes textos, inventando a diferença entre a lei moral, que eles chamam a lei de Deus, e a lei cerimonial, que eles chamam a lei de Moisés.  Normalmente, eles ensinam que a lei cerimonial foi abolida por Cristo (assim não guardamos a Páscoa nem oferecemos sacrifícios de animais) mas a lei moral ainda está vigente.  Esta distinção não está na Bíblia.

A Bíblia usa as expressões lei do Senhor e lei de Moisés, sem fazer distinção, nos mesmos casos:

· 2 Crônicas 34:14­  "Quando se tirava o dinheiro que se havia trazido à casa do Senhor, Hilquias, o sacerdote, achou o Livro da Lei do Senhor, dada por intermédio de Moisés."

· Esdras 7:6­  "Ele era escriba versado na lei de Moisés, dada pelo Senhor Deus de Israel; e, segundo a boa mão do Senhor seu Deus, que estava sobre ele, o rei lhe concedeu tudo quanto lhe pedira."

· Neemias 8:1, 8, 14, 18­  "Em chegando o sétimo mês, e estando os filhos de Israel nas suas cidades, todo o povo se ajuntou como um só homem, na praça, diante da Porta das Águas; e disseram a Esdras, o escriba, que trouxesse o livro da lei de Moisés, que o Senhor tinha prescrito a Israel. . . .  Leram no Livro, na lei de Deus, claramente, dando explicações, de maneira que entendessem o que se lia. . . .  Acharam escrito na lei que o Senhor ordenara, por intermédio de Moisés, que os filhos de Israel habitassem em cabanas, durante a festa do sétimo mês. . . .  Dia após dia leu Esdras do livro da lei de Deus, desde o primeiro dia até ao último; e celebraram a festa por sete dias; no oitavo dia houve uma assembleia solene, segundo o prescrito."

· Neemias 10:29­  "Firmemente aderiram a seus irmãos, seus nobres convieram numa imprecação e num juramento, de que andariam na lei de Deus, e que foi dada por intermédio de Moisés, servo de Deus; de que guardariam e cumpririam todos os mandamentos do Senhor, nosso Deus, e os seus juízos e os seus estatutos."
Em diversas ocasiões, "mandamentos cerimoniais" eram chamados de lei do Senhor:  Sacrifícios de animais, sacerdócio, dias de festas (2 Crônicas 31:3-4), a festa dos tabernáculos (Neemias 8:13-18), a consagração dos primogênitos e as oferendas para purificação depois do parto (Lucas 2:23-24).  Em outras ocasiões, as leis morais eram ditas como vindo de Moisés.  Por exemplo, o mandamento para honrar os pais (Marcos 7:10).  Para simplificar, a distinção entre a lei cerimonial  de Moisés e a lei de Deus é uma invenção da teologia adventista.  Não é encontrada na Bíblia.

Nota 3:

O dia do sábado de Colossenses 2:16 é o sábado semanal.

Algumas vezes, quando confrontados com Colossenses 2:16, que ensina que o dia do sábado foi uma parte da sombra que foi substituída por Cristo, os adventistas replicam que Colossenses 2:16 está se referindo aos "sábados anuais", e não aos "sábados semanais."  A verdade é que o termo sábado é usado na Bíblia quase exclusivamente para os sábados semanais e é a própria palavra usada pelo Senhor quando ele deu os dez mandamentos.  A única festa anual, para a qual a palavra sábado foi aplicada, é o Dia da Expiação (Levítico 16:31-32).
Olhem cuidadosamente a lista dos tipos de "sombra" em Colossenses 2:16: "comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados".  Depois de mencionar comida e bebida, ele (Paulo) também menciona festas (celebrações anuais), lua nova (celebrações mensais) e sábados (celebrações semanais).  [E, interessante, muitos adventistas tentam manter as mesmas regras do Velho Testamento sobre comida  (estude Marcos 7:19 e Atos 10:9-16)].  Repetidamente, este agrupamento anual, mensal e semanal (às vezes diário) de festas é feito na Bíblia:

· 1 Crônicas 23:30-31­  "Deviam estar presentes todas as manhãs para renderem graças ao Senhor, e o louvarem; e da mesma sorte à tarde.  E para cada oferecimento dos holocaustos do Senhor, nos sábados, nas luas novas, e nas festas fixas, perante o Senhor, segundo o número determinado."

· 2 Crônicas 2:4­  "Eis que estou para edificar a casa ao nome do Senhor meu Deus e lha consagrar, para queimar perante ele incenso aromático, e lhe apresentar o pão contínuo da proposição, e os holocaustos da manhã e da tarde, nos sábados, nas luas novas e nas festividades do Senhor nosso Deus; o que é obrigação perpétua para Israel."

· 2 Crônicas 8:13­  "E isto segundo o dever de cada dia, conforme o preceito de Moisés, nos sábados, nas luas novas e nas festas fixas, três vezes no ano:  na festa dos pães asmos, na festa das semanas e na festa dos tabernáculos."

· 2 Crônicas 31:3­  "A contribuição que fazia o rei da sua própria fazenda era destinada para os holocaustos, para os da manhã e os da tarde, e para os holocaustos dos sábados, das luas novas e das festas fixas, como está escrito na lei do Senhor."

· Neemias 10:33­  "Para os pães da proposição, e para a contínua oferta de manjares, e para o contínuo holocausto dos sábados, das luas novas, para as festas fixas, e para as cousas sagradas, e para as ofertas pelo pecado, para fazer expiação por Israel, e para toda a obra da casa do nosso Deus."

· Ezequiel 45:17­  "Estarão a cargo do príncipe os holocaustos, e as ofertas de manjares, e as libações, nas festas, nas luas novas e nos sábados, em todas as festas fixas da casa de Israel:  ele mesmo proverá a oferta pelo pecado, e a oferta de manjares, e o holocausto, e os sacrifícios pacíficos, para fazer expiação pela casa de Israel."

· Oséias 2:11­  "Farei cessar todo o seu gozo, as suas festas, as suas luas novas, os seus sábados e todas as suas solenidades."

Paulo usa o mesmo agrupamento em Colossenses 2:16.  Por que haveria alguém de torcer suas palavras para fazer com que significasse festas anuais quando ele fala de sábados?

Nota 4:

O significado espiritual do sábado

O dia do sábado era uma sombra da realidade espiritual trazida por Cristo (Colossenses 2:16-17).  O sábado significa descanso e libertação do trabalho:  Cristo trouxe o descanso e a libertação do pecado.  Jesus é o descanso para o qual a sombra do sábado apontava (Mateus 11:28-30).  Mesmo a libertação e o descanso que Jesus nos dá agora são apenas uma antecipação do descanso verdadeiro que os cristãos experimentarão no céu (Hebreus 4:9).
Nota  5:

Os primeiros cristãos adoravam no domingo

Duas passagens mostram claramente que os primeiros cristãos adoravam nos domingos:
· Atos 20:7­ "No primeiro dia da semana, estando nós reunidos com o fim de partir o pão, Paulo que devia seguir de viagem no dia imediato, exortava-os e prolongou o discurso até à meia-noite." Notem que este dia era um domingo.  Os adventistas argumentam que esta reunião era na noite de sábado, mas as Escrituras dizem que era no primeiro dia da semana.  Notem também que o propósito da reunião deles era partir o pão.  Nesse trecho, e referindo a outras passagens (Atos 2:42;  1 Coríntios 10:16;  11:18-34),  está claro que isto se refere à Ceia do Senhor.  Os adventistas argumentam que eles se reuniram porque Paulo partiria no dia seguinte, mas o trecho diz que eles se reuniram para partir o pão.

· 1 Coríntios 16:1-2­  "Quanto à coleta para os santos, fazei vós também como ordenei às igrejas da Galáxia.  No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte, em casa, conforme a sua prosperidade, e vá juntando, para que se não façam coletas quando eu for."  Os primeiros cristãos, aqui, contribuíam com seu dinheiro no primeiro dia da semana.  Por que seria feita a coleta no domingo, se os cristãos não se reunissem nesse dia?

Nota 6:

Respondendo a objeções

· Jesus guardou o sábado. Certamente que sim.  Jesus era um judeu nascido sob a lei (Gálatas 4:4) e portanto obedeceu a todas as leis do Velho Testamento.  Jesus foi circuncidado, ordenou a entrega de oferendas ao sacerdote, pela purificação, guardou a Páscoa, etc. (Lucas 2:21; 5:12-14; Mateus 26:18-19).  Mas quando Jesus morreu, ele inaugurou a nova aliança e revogou a velha.  Se o fato que Jesus guardou a Páscoa não prova que nós também deveríamos guardá-la, então o fato que Jesus guardou o sábado não prova que nós deveríamos guardá-lo também.

· Paulo guardou o sábado.  As Escrituras não ensinam isto.  Havia um número de ocasiões em que Paulo ensinou em sinagogas, no sábado (Atos 18:4, por exemplo).  O sábado era o dia quando as pessoas se juntavam na sinagoga e Paulo aproveitou-se dessas oportunidades para ensinar muitas pessoas.  Se eu tivesse permissão para ensinar lá, eu haveria de ir a assembleias adventistas todos os sábados.  Mas a ida de Paulo às sinagogas, para ensinar no sábado, não prova que ele guardou o sábado como um dia santo de descanso.
· Para sempre.  No Velho Testamento, o sábado era "por aliança perpétua nas suas gerações" e "entre mim e os filhos de Israel é sinal para sempre" (Êxodo 31:16-17).  Os adventistas argumentam que estes termos mostram que a guarda do sábado semanal nunca terminará (descansaremos no céu, também?).  Mas o verdadeiro significado de "para sempre" e "perpétua", neste trecho, é limitado por "nas suas gerações".  Estas expressões significam "duração de uma era".  Outros mandamentos do Velho Testamento foram "para sempre":  por exemplo, a Páscoa (Êxodo 12:24).  Muitos mandamentos do Velho Testamento foram "perpétuos":  a queima do incenso (Êxodo 30:21), o sacerdócio Levítico (Êxodo 40:15), as ofertas de paz (Levítico 3:17), a parte dos sacerdotes nos sacrifícios (Levítico 6:18, 22;  7:34, 36),  o sacrifício anual de animais pela expiação  dos pecados (Levítico 16:29, 31,34), etc.  Os adventistas, normalmente, não ensinam que sacrifícios de animais, queima de incenso ou a guarda da páscoa têm que ser continuados hoje;  porque, então, deveriam eles argumentar que a guarda do sábado tem que ser continuada hoje?
· Jesus não veio para revogar a lei.  Mateus 5:17-18 diz: "Não penseis que vim revogar a lei ou os profetas:  não vim para revogar; vim para cumprir.  Porque em verdade vos digo:  Até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da lei, até que tudo se cumpra."  Neste trecho, Jesus está ensinando que seu propósito não era contra a lei.  Ele não veio para demolir ou destruir a lei.  De fato, Ele era o cumprimento da lei.  A lei predisse a vinda de Cristo e a nova aliança que ele haveria de trazer.  Esta passagem não está, certamente, ensinando que cada "i" ou "til" da lei  obrigaria para sempre;  nem os adventistas afirmam isso.  Mas em vez disso, que toda a lei e os profetas haveriam de desempenhar suas funções propostas, até o seu cumprimento.

· Jesus disse para orarem para que sua fuga não fosse no sábado.  Mateus 24:20 diz: "Orai para que a vossa fuga não se dê no inverno, nem no sábado."  Nesse trecho, Jesus estava considerando a iminente destruição de Jerusalém.  Ele deu aos seus discípulos o sinal pelo qual eles poderiam saber quando a hora de fugir houvesse chegado.  E ele os aconselhou a orar para que sua fuga não viesse em um tempo difícil.  Havia várias razões porque seria mais difícil fugir no sábado.  Normalmente, os judeus trancavam as portas da cidade no sábado, e poderiam ser impedidos em sua fuga por judeus fanáticos; o sábado dificultaria a capacidade dos cristãos para comprar os mantimentos necessários para a fuga.  Quando Jesus os avisou para que orassem para que a fuga não fosse num dia de sábado ou no inverno, ele não estava admitindo que os cristãos deveriam guardar o sábado, mais do que deveriam guardar o inverno.

· O papa mudou o sábado. Quando os argumentos da Bíblia lhes falham, os adventistas gostam de tentar provar que os primeiros cristãos guardavam o sábado, mas que esta guarda foi mais tarde mudada para o domingo, pela igreja católica.  Mesmo descontando a evidência da Bíblia, esta afirmação pode ser desmentida historicamente.  Tanto Inácio como Justino Mártir se referem aos cristãos adorando no domingo e eles escreveram no segundo século, muito antes de haver um papa ou uma igreja católica.  Mas pesquisar através de documentos históricos é desnecessário.  A Bíblia decide a questão e isso deveria ser suficiente para aqueles que têm fé em Deus.

 

Guardar as Leis do Velho

Testamento?

 

Introdução

No Velho Testamento, encontramos muitos mandamentos que não são achados no Novo Testamento, tais como o sábado do sétimo dia, o sacrifício de animais, o sacerdócio levítico, a circuncisão, os dias santificados especiais, a queima de incenso, o dízimo e a música instrumental, na adoração.

Muitas pessoas estão confusas sobre se temos ou não, hoje em dia, que obedecer a estes mandamentos do Velho Testamento. Pessoas que acreditam que deveríamos guardá-los, frequentemente discordam entre si sobre quais leis devemos guardar. Para agradar a Deus e para sermos unidos religiosamente, temos que determinar se alguma das leis do Velho Testamento se aplica a nós, atualmente. O propósito deste estudo é entrar nessas questões.

Vamos considerar algumas perguntas introdutórias:

Deus quer que as pessoas, hoje em dia, obedeçam a todos os mandamentos
que ele já deu?

As pessoas, às vezes, acreditam (ou argumentam como se creem), que temos que praticar, hoje em dia, tudo o que Deus já ordenou na Bíblia. Mas considere uns poucos exemplos:

A arca de Noé (Gênesis 6:13-7:5) - Deus fez com Noé uma aliança (6:18), que continha mandamentos que Noé deveria obedecer (6:22; 7:5). Depois do dilúvio, Deus prometeu que jamais tornaria a destruir toda a carne por meio de água (9:11-17). As pessoas, hoje em dia, têm que construir arcas?

Circuncisão (Gênesis 17:9-14) - A circuncisão foi tanto uma aliança como um mandamento, dado por Deus a Abraão e seus descendentes (veja 21:1-4; Levítico 12:3). Mas este mandamento já não mais se aplica (I Coríntios 7:18-20; Gálatas 5:1-8; 6:12-16).

Sacerdócio levítico (Êxodo 40:12-16; 29:1-9) - Sob a aliança feita no Monte Sinai, Deus ordenou que somente Arão e seus descendentes servissem como sacerdotes (Números 3:10; 18:1-7; 16:40). Mas hoje, Jesus é o Sumo Sacerdote, embora ele não tivesse sido um descendente de Arão. Isto prova que houve uma mudança na lei (Hebreus 7:11-18; I Pedro 2:5,9).

Sacrifício de animais (Números 15:1-6) - Através de todo o Velho Testamento, Deus ordenou que as pessoas oferecessem sacrifícios de animais (veja Gênesis 4:1-5; Levítico 1-7). Mas hoje, Jesus é o nosso sacrifício perfeito. Os sacrifícios de animais cessaram porque não são mais necessários (Hebreus 10:1-18).

Dias santificados (Êxodo 12:1-28; 13:3-10; Levítico 23) - Deus ordenou que Israel guardasse vários dias festivos santificados, mas nós não devemos guardá-los (Colossenses 2:14-17; Gálatas 4:10,11). Note que, quando Deus manda que certo dia seja um dia santo de descanso, ele pode posteriormente mudar a ordem e não mais exigir que os homens o guardem.

Não podemos negar que Deus tem dado leis diferentes para diferentes povos, em tempos diferentes. Deus é o mesmo ontem, hoje e sempre (Hebreus 13:8), mas isto se refere ao caráter e à natureza de Deus, e não às suas leis para os homens. Os trechos das Escrituras examinados provam que o próprio Deus tem

feito mudanças nas leis que tem dado ao povo.

Por que estes mandamentos não mais obrigam o povo?

Há, pelo menos, duas razões possíveis para que não sejamos obrigados a obedecer a um mandamento dado por Deus:

1. Deus deu alguns mandamentos a determinados indivíduos ou grupos, sem nunca querer que se aplicassem a todas as pessoas, em todos os lugares. Exemplos óbvios são: o mandamento para Noé construir a arca, o mandamento a Abraão para sacrificar seu filho e o mandamento a Abraão e seus descendentes para circuncidar todos os homens (Veja Romanos 3:19).

Se Deus queria que alguns dos seus mandamentos fossem limitados a certas pessoas, mas tomamos estes mandamentos e os aplicamos a outras pessoas, a quem ele jamais quis que se aplicassem, então não estamos demonstrando fidelidade a Deus, mas, isto sim, estamos pervertendo sua vontade!

2. Deus deu alguns mandamentos para servir a um propósito temporário. Quando eles cumpriram seu propósito, não foram mais necessários, então Deus os retirou. Exemplos disto são o sacerdócio levítico, o sacrifício de animais e a circuncisão. De fato, isto se aplica a todos os exemplos previamente mencionados.

Queira notar que não estamos dizendo que as pessoas têm o direito de declarar que uma lei de Deus seja anulada, baseados simplesmente em sua própria autoridade. A questão é: qual a intenção de Deus a respeito de certos mandamentos? Se ele determina que a lei se aplique a nós, somos infiéis se não a obedecemos. Mas somos igualmente infiéis se condenamos as pessoas por não seguirem uma lei quando, de fato, o próprio Deus não tenciona que essas pessoas sigam essa lei.

A questão que estamos examinando é: Qual a intenção de Deus a respeito dos mandamentos do Velho Testamento em geral?

 

Libertados da Lei (Romanos 7:1-11)

 

Tanto o pecado como a lei são associados à morte (5:12,21; 6:14; 7:10-11; veja Gálatas 3:10). Por outro lado, a fé em Cristo leva à ressurreição e à vida (6:4,8,9,23). É somente em Cristo que morremos à lei e ao pecado para ter a vida.

Não Sujeitos à Lei (1-6)  

Os mortos não são sujeitos à lei (1). Para ilustrar esse fato, Paulo introduz aqui a lei do casamento (2-4). A morte interrompe o laço de lei. As pessoas que já morreram em relação à lei não são mais obrigadas a guardá-la. No meio da ilustração, ele muda o sentido um pouco, mostrando que a pessoa viva (a viúva, neste caso) fica livre para ser ligada a outro (marido). Uma vez morta à lei, a pessoa pode ser ligada a Cristo, mas não pode continuar com a lei e com Cristo ao mesmo tempo.

Esta ilustração serve, também, para frisar a vontade de Deus para o casamento. O casamento é para a vida toda, e deve ser interrompido somente pela morte de um dos cônjuges. O outro (viúvo ou viúva) pode casar-se de novo sem pecar. Mas, se casar de novo enquanto o primeiro marido vive, torna-se adúltera. Neste trecho ele não trata da exceção dada por Jesus em Mateus 19:9. Podemos observar, também, que o laço de obrigação é com a lei conjugal (de Deus), e não somente com o cônjuge. Por isso, a pessoa divorciada geralmente ainda não tem autorização de Deus para casar de novo, e o segundo casamento se caracteriza como adultério (Lucas 16:18; Marcos 10:2-12; veja Marcos 6:17-18; Malaquias 2:14,16).

Antes de uma pessoa morrer para o pecado, o pecado produzia o fruto da morte (5). Depois de ser libertada do pecado e da lei, a mesma pessoa passa a servir a Deus (6). Vive na novidade de espírito (a fé, o evangelho, Cristo), não na caducidade da letra (a lei, o pecado, a morte).

Embora todos nós estivéssemos sujeitos ao pecado, somente os judeus estavam sujeitos à lei que Paulo cita aqui. Ele mostrará no próximo parágrafo a qual lei se refere.

A Lei ≠ Pecado (7-11)

Uma vez que a liberdade da lei é comparada à liberdade do pecado, alguém poderia concluir que são a mesma coisa. Paulo tira essa dúvida: “É a lei pecado? De modo nenhum!” (7). A lei não é pecado, mas ela torna o pecado conhecido. Paulo cita o exemplo de cobiça (7).

Qual lei? Alguns ensinam que alguma parte da lei dada no Monte Sinai continua em vigor hoje. Às vezes, sugerem uma distinção artificial entre a lei de Deus (“moral”) e a lei de Moisés (“cerimonial”), dizendo que esta foi removida enquanto aquela permanece. Paulo acabou de dizer que os judeus não estavam mais sujeitos “à lei” (6) e agora cita um dos mandamentos da mesma lei: “Não cobiçarás”. Este mandamento é um dos dez mandamentos (veja Êxodo 20:17), parte da suposta lei moral. Ainda é pecado cobiçar, mas não por causa da lei antiga. É condenada na Nova Aliança que nos guia (Efésios 5:3).

A lei traz a consciência do pecado (8-9) e é ligada à morte (10-11). Quem busca a vida terá que procurar em outro lugar, pois a lei não traz a salvação.

 

A lei de Deus sempre foi a mesma

para todas as pessoas?

 

“Jesus Cristo, ontem e hoje, é o mesmo e o será para sempre” (Hebreus 13:7). “Porque eu, o SENHOR, não mudo” (Malaquias 3:6). “Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudança” (Tiago 1:17). Deus é eterno, santo, perfeito. Sempre era assim, e jamais mudará.

Mas o caráter imutável de Deus exige uma lei imutável, também? Alguns grupos religiosos ensinam que a lei de Deus hoje é a mesma que foi dada aos israelitas no Monte Sinai 3.500 anos atrás. Esta noção reflete um entendimento errado da história bíblica e da revelação de Deus.

Encontramos na Bíblia três períodos principais em que Deus revelou leis diferentes aos homens. Consideremos estas revelações diferentes:

Instruções dadas aos Patriarcas, ou Pais. Desde o primeiro dia da existência humana, Deus revelou a sua lei aos homens. Ele permitia algumas coisas (por exemplo, comer das árvores do jardim – Gênesis 2:16) e proibia outras (comer da árvore do conhecimento do bem e do mal – Gênesis 2:17). Ele deu ordens sobre o casamento para governar Adão, Eva e seus descendentes (Gênesis 2:24). Deus continuou revelando novas leis aos descendentes de Adão, como as regras sobre carne e sangue dadas a Noé (Gênesis 9:3-6).

Instruções dadas aos israelitas. Quando Moisés conduziu o povo de Israel para fora do Egito, Deus fez uma aliança especial com eles. Outros povos ainda tinham a obrigação de respeitar os princípios já revelados, mas ele deu uma lei mais específica a Israel. Ele não deu esta lei para todos os homens, pois fez uma distinção entre Israel e as outras nações. Quando falou do sábado, por exemplo, deixou bem claro a aplicação limitada desta lei: “Falarás aos filhos de Israel e lhes dirás: Certamente, guardareis os meus sábados; pois é sinal entre mim e vós nas vossas gerações.... Portanto, guardareis o sábado, porque é santo para vós outros.... Pelo que os filhos de Israel guardarão o sábado, celebrando-o por aliança perpétua nas suas gerações. Entre mim e os filhos de Israel é sinal para sempre” (Êxodo 31:13-17). Hoje, as pessoas que ensinam que todos devem guardar o sábado procuram aplicar geralmente uma lei que foi limitada pelo próprio Senhor.

O evangelho universal. Jesus, sendo de linhagem israelita, guardou a lei dada aos israelitas e a cumpriu perfeitamente. Depois de sua morte, entrou em vigor seu Novo Testamento e a antiga aliança foi removida (Hebreus 9:15-17; 8:6-13). A mensagem desta nova aliança aplica igualmente a todos os homens, oferecendo a salvação a judeus e gentios (Romanos 1:16-17), e exigindo o arrependimento de todos os homens em toda parte (Atos 17:30). A palavra que Jesus trouxe será a base do julgamento final (João 12:48). Devemos obedecê-la!

 

Tragam Seus Dízimos e Recebam as

Bênçãos de Deus:

 

As pessoas religiosas, hoje em dia, ouvem muita coisa a respeito do dízimo. Os pregadores, frequentemente, citam Malaquias 3:10 para encher os cofres de suas igrejas. Nesta passagem, o profeta de Deus disse:

"Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e provai-me nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós bênção sem medida."

Que texto de pregação poderoso! Mandamento de Deus. Obrigação clara. Teste de fidelidade. Garantia de bênção. Não é surpresa que esta seja uma passagem favorita de muitos pregadores modernos.

Mas estariam estes pregadores tratando corretamente a palavra de Deus (veja 2 Timóteo 2:15)? Deus exige nossos dízimos hoje em dia? Ele está prometendo bênçãos materiais abundantes em retribuição? Examinemos estas questões de acordo com a Bíblia para determinar o que Deus realmente quer (veja Atos 17:11).

Deus exige nossos dízimos, hoje em dia?

Não há dúvida que Deus exigiu o dízimo na Bíblia. Mas, para entender sua vontade para os dias de hoje, precisamos examinar as passagens que discutem o dízimo. Pesquisemos brevemente o ensinamento bíblico sobre este assunto.

O dízimo antes da lei de Moisés

Antes que Deus revelasse uma lei escrita a Moisés, para governar os descendentes de Israel, encontramos duas ocasiões quando homens deram ou prometeram dízimos a Deus. Depois do resgate de pessoas e de bens que tinham sido tomados de Sodoma numa guerra, Abraão deu um dízimo a Melquisedeque, o sacerdote de Deus (Gênesis 14:18-20). Mais tarde, Jacó (o neto de Abraão) prometeu devolver a Deus 10% de sua prosperidade (Gênesis 28:22). Estes dízimos parecem ter sido voluntários. Não há registro de qualquer mandamento de Deus a respeito do dízimo antes do tempo de Moisés. Certamente, o dízimo de Abraão não é mais um padrão para hoje na mesma forma que o exemplo de Noé não exige que nós construirmos uma arca hoje em dia. Pela mesma razão que pregadores hoje em dia não têm o direito de exigir que você construa um grande barco, eles não têm base para usar os exemplos de doações de dízimo do livro de Gênesis para exigir que você dê 10% de sua renda a uma igreja.

O dízimo na lei de Moisés

É indiscutivelmente claro que Deus ordenou o dízimo na lei que ele deu através de Moisés. Muitas passagens mostram essa exigência (por exemplo, Levítico 27:30-33; Números 18:21-32; Deuteronômio 12:1-19; 26:12-15). O dízimo era uma característica da relação especial entre Deus e o povo escolhido de Israel (Deuteronômio 14:22-29). Nenhum estudante da Bíblia pode negar a necessidade do dízimo, sob a lei de Moisés.

Sempre que as pessoas se referem à lei de Moisés, é importante lembrar que Deus deu essa lei aos israelitas, descendentes de Abraão especialmente escolhidos. A manutenção dessa lei era necessária para mostrar que eles eram um povo separado, escolhido (Êxodo 19:1-6; Deuteronômio 26:16- 19). Estes mandamentos a respeito do dízimo foram parte "da lei de Moisés, que o Senhor tinha prescrito a Israel" (Neemias 8:1).

Malaquias viveu no mesmo tempo que Neemias. Ele era um judeu que pregava aos judeus (Malaquias 1:1). Ele viveu sob a lei de Moisés e encorajou outros israelitas a serem obedientes a essa lei (Malaquias 2:4-8, 10; 4:4). Ele usou pensamentos dessa lei para prever as responsabilidades e bênçãos espirituais, ainda por vir, através de um descendente de Abraão, mas não impôs sobre todas as pessoas de todos os tempos a obrigação de dar o dízimo. Qualquer esforço para voltar à lei de Moisés, hoje em dia, é um esforço para reconstruir o muro de separação que Jesus morreu para destruir (Efésios 2:11-16). Certamente, os verdadeiros seguidores de Jesus não quererão anular seu sacrifício só para acumular dinheiro no tesouro de uma igreja!

O dízimo no Novo Testamento

Todas as pessoas agora vivem sob a autoridade de Cristo, como foi revelada no Novo Testamento (Mateus 28:18-20; João 12:48; Atos 17:30- 31). Sua vontade entrou em vigor depois de sua morte (Hebreus 9:16-28). Estes fatos nos ajudarão a entender as passagens do Novo Testamento, a respeito do dízimo.

Durante sua vida, Jesus reconheceu a autoridade da lei de Moisés. Ele era um judeu, nascido sob a lei (Gálatas 4:4) e com a missão de cumprir essa lei (Mateus 5:17-18). Jesus criticou os judeus hipócritas, que negligenciavam outros mandamentos divinos, enquanto zelosamente aplicavam a lei do dízimo (Mateus 23:23; Lucas 11:42; 18:9-14). Jesus não ensinou que a lei do dízimo seria uma parte de sua nova aliança, que entraria em vigor após sua morte.

O livro de Hebreus fala do dízimo, para mostrar a superioridade do sacerdócio de Jesus, quando comparado com o sacerdócio levítico da Velha Lei (Hebreus 7:1-10). Esta passagem não está ordenando o dízimo para hoje em dia. De fato, o mesmo capítulo afirma claramente que Jesus mudou ou revogou a lei de Moisés (Hebreus 7:11-19). O dízimo não é ordenado na lei de Cristo, que é o Novo Testamento.

Que lei se aplica hoje?

Não vivemos sob a lei de Moisés, hoje em dia. Jesus aboliu essa lei por sua morte (Efésios 2:14-15). Estamos mortos para essa lei para que possamos estar vivos para Cristo (Romanos 7:4-7). A lei gravada nas pedras, no Monte Sinai, extinguiu-se e a nova aliança permanece (2 Coríntios 3:6-11). A lei funcionou como um tutor para trazer o povo a Cristo, mas não estamos mais sob esse tutor (Gálatas 3:22-25). Aqueles que desejam estar sob a lei estão abandonando a liberdade em Cristo e retornando à escravidão (Gálatas 4:21-31). As pessoas que voltam a essa lei estão decaindo da graça e se separando de Cristo (Gálatas 5:1-6). Não temos o direito de retornar a essa lei, para obrigar que guardem o sábado, a circuncisão, os sacrifícios de animais, as regras especiais sobre roupas, a pena de morte para os filhos rebeldes, o dízimo e qualquer outro mandamento da lei de Moisés.

Vivemos sob a autoridade de Cristo e temos que encontrar a autoridade religiosa na nova aliança que ele nos deu através de sua morte. Ele é o mediador desta nova aliança (Hebreus 9:15). Seremos julgados por suas palavras (João 12:48-50). Desde que Jesus tem toda a autoridade, temos a responsabilidade de obedecer tudo o que ele ordena (Mateus 28:18-20).

O que o Novo Testamento diz a respeito das dádivas?

Jesus, através de Paulo, ensina que as igrejas devem fazer coletas nas quais os cristãos darão de acordo com sua prosperidade (1 Coríntios 16:1- 2). Temos que dar com amor, generosidade e alegria, conforme tencionamos em nossos corações (2 Coríntios 8:1-12; 9:1-9). Portanto, podemos dar mais do que 10% ou menos do que 10%. Temos que usar nossos recursos financeiros, e todos os outros recursos, no serviço de Deus. Não somos mandados por Deus para darmos uma porcentagem especial.

E a respeito das bênçãos?

Malaquias pregou a uma nação carnal que estava sofrendo as consequências carnais do pecado. Ele prometeu bênçãos materiais de Deus para aqueles que se arrependessem de sua desobediência. Não encontramos esta importância material no Novo Testamento. Deus garante aos fiéis que eles não precisam se preocupar com as necessidades da vida (Mateus 6:25-33).

Mas o Novo Testamento não promete luxo, conforto e riquezas. Jesus sofreu nesta vida, e assim seus seguidores sofrerão (Marcos 10:29-30; Lucas 9:57-62). A preocupação com a prosperidade material nos distrai da meta celestial e nos arrasta à idolatria da cobiça (Colossenses 3:1-5). Tais motivos não têm nenhum lugar entre os cidadãos do reino de Deus.

Destorcendo Malaquias 3:10

Aqueles que citam Malaquias 3:10 para exigir o dízimo, e prometem prosperidade material, estão destorcendo a palavra de Deus. Eles estão enchendo os tesouros das igrejas ao desviarem a atenção de seus seguidores das coisas espirituais para darem atenção às posses materiais. Pedro advertiu sobre tais mestres: "Também, movidos pela avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme" (2 Pedro 2:3).

Mirando a meta celestial

Deus oferece uma coisa muito melhor aos seus seguidores: um prêmio eterno no céu. Paulo nos desafia a mirar essa meta: "Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as cousas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas cousas lá do alto, mas não nas que são da terra" (Colossenses 3:1-2).


CLICK NA FOTO OU NO RESULTADO

DE IMAGEM E VEJA MUITO MAIS...

 

 

Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
445 × 334 - 7todaverdade.blogspot.com
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS
Resultado de imagem para IMAGENS DOS 10 MANDAMENTOS