DEUS NÃO É RELIGIÃO OU SEITA, POIS RELIGIÕES E SEITAS SÃO COISAS DOS HOMENS E MULHERES, COMO AS CRENDICES.

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. João 8:32 - Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade. João 17:17 - Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim tem a vida eterna. João 6:47 - Porque nada podemos contra a verdade, senão pela verdade. 2 Coríntios 13:8.


O AMOR DE DEUS PARA COM OS SERES HUMANOS, É ABSOLUTAMENTE INCONDICIONAL, POIS OS CRIOU A SUA IMAGEM E SEMELHANÇA EM ESPÍRITO, E NÃO PODE NEGAR-SE A SI PRÓPRIO.


www.palavra10.com, é o maior site de receitas culinárias do mundo. São aproximadamente 1.500.000 receitas culinárias, com fotos dos pratos  (alimentos preparados). Clicando nas fotos você verá as receitas e os modos de preparos, entre outras orientações e divulgações. Neste site você encontra orientações pessoais, que se tornam uma autoajuda necessária para os problemas pessoais diários. Confira tudo.

 COMPARTILHE O SITE www.palavra10.com COM SEUS AMIGOS E PARENTES.


 CRIAÇÃO DA RAÇA HUMANA RACIONAL
Existem dois períodos distintos e importantes na criação da vida humana. 1º Período: Antes da criação do homem racional (pré-história) e 2º Período após a criação do homem racional, este último citado na Bíblia, em Gênesis Capítulo 1º (criação dos espíritos do homem e da mulher), e Gênesis, Capítulo 2º (criação dos corpos do homem e da mulher). É muito grande a falta de entendimento dos Ciêntistas e dos Religiosos, tornado-os radicais.


 

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
PALAVRA10
O QUE VOCÊ ACHA DESTE SITE?
ÓTIMO
BOM
REGULAR
Ver Resultados

Rating: 2.9/5 (5467 votos)




ONLINE
10





Partilhe esta Página





 

 


071 - RECEITAS DE COMIDAS DA ESLOVÁQUIA.
071 - RECEITAS DE COMIDAS DA ESLOVÁQUIA.

Eslováquia

Slovenská republika
República Eslovaca
Bandeira da Eslováquia
Brasão de armas
Bandeira Brasão
Lema: não tem
Hino nacional: Nad Tatrou sa blýska
"Sobre os Tatras brilha o relâmpago"
Gentílico: eslovaco

Localização  Eslováquia

Localização da Eslováquia (em vermelho)
No continente europeu (em cinza)
Na União Europeia (em branco)
Capital Bratislava
48° 09′ N 17° 07′ O
Cidade mais populosa Bratislava
Língua oficial Eslovaco
Governo RepúblicaParlamentarista
 - Presidente Andrej Kiska
 - Primeiro-ministro Robert Fico
Independência Por desmembramento da Checoslováquia 
 - Declarada 1 de janeiro de 1993 
Entrada na UE 1 de maio de 2004
Área  
 - Total 49 035 km² (127.º)
 - Água (%) 130
 Fronteira República Checa
Polónia
Ucrânia
Hungria
Áustria
População  
 - Estimativa para 2015 5 426 252[1] hab. (116.º)
 - Censo 2011 5 397 036 hab. 
 - Densidade 111 hab./km² (88.º)
PIB (base PPC) Estimativa de 2014
 - Total US$ 144,013 bilhões*[2] 
 - Per capita US$ 26 615[2] 
PIB (nominal) Estimativa de 2014
 - Total US$ 95,805 bilhões*[2] 
 - Per capita US$ 17 706[2] 
IDH (2015) 0,845 (40.º) – muito elevado[3]
Gini (2008) 19,5
Moeda Euro[4] (EUR)
Fuso horário CET (UTC+1)
 - Verão (DST) CEST (UTC+2)
Cód. ISO SVK
Cód. Internet .sk
Cód. telef. +421

Mapa  Eslováquia

Eslováquia (em eslovaco: Slovensko; pronunciado: [ˈslovɛnsko] ( ouvir)), cujo nome oficial é República Eslovaca (em eslovaco: Slovenská republika; pronunciado: [ˈslovɛnskaː ˈrɛpublika] ( ouvir)), é um país na Europa Central.[5][6] É limitado pela República Checa e pela Áustria a oeste, pela Polônia ao norte, pela Ucrânia ao leste e Hungria ao sul. O território eslovaco se estende por cerca de 49 mil quilômetros quadrados e é em grande parte montanhoso. A população é de mais de 5 milhões e é composta principalmente de eslovacos étnicos. A capital e maior cidade é Bratislava. A língua oficial é o eslovaco, um membro da família de línguas eslavas.

Os eslavos chegaram no território atual da Eslováquia nos séculos V e VI. No século VII, desempenharam um papel significativo na criação do império de Samo e no estabelecimento do Principado de Nitra, no século IX. No século X, o território foi integrado ao Reino da Hungria, que se tornou parte do Império Habsburgo e do Império Austro-Húngaro.[7]

Após a Primeira Guerra Mundial e a dissolução da Áustria-Hungria, os eslovacos e checos estabeleceram a Checoslováquia. Uma República Eslovaca independente (1939-1945) existiu na Segunda Guerra Mundial como um Estado fantoche da Alemanha nazista. Em 1945, a Checoslováquia foi restabelecida sob um regime socialista satélite da União Soviética. A Eslováquia tornou-se plenamente independente em 1 de janeiro 1993, após a dissolução pacífica da Checoslováquia.

O país é uma economia avançada de alta renda[8][9] com uma das maiores taxas de crescimento na União Europeia (UE) e da OCDE.[10] O país aderiu à UE em 2004 e na Zona Euro em 1 de janeiro de 2009.[11] A Eslováquia também é membro do Espaço Schengen, da OTAN, da Organização das Nações Unidas e da Organização Mundial do Comércio (OMC).

 

História

Ver artigo principal: História da Eslováquia

Antiguidade e Idade Média

Ver também: Grande Morávia

O território correspondente à atual Eslováquia começou a ser colonizado pelos celtas por volta de 450 a.C. Estes construíram oppida nos sítios onde hoje se encontram Bratislava e Havránok. O primeiro uso da escrita na Eslováquia está registrado em moedas de prata com o nome de reis celtas. A partir de 2 d.C., o Império Romano, em expansão, ergueu e manteve uma série de postos militares próximo a e imediatamente ao norte do Danúbio, dos quais se destacam os maiores, como Vindobona, Carnunto e Brigécio. No acampamento de inverno de Laugarício (atual Trenčín), perto do Limes romanus, os auxiliares da II legião romana venceram uma batalha decisiva contra os quados germânicos em 179, durante as guerras marcomanas. Alguns reinos e tribos germanos e celtas estabeleceram-se no oeste e no centro do que é hoje a Eslováquia entre 8 a.C. e 179 d.C., principalmente suevos, osos e cótinos.

Os eslavos ocuparam o território no século V. No século VII, o oeste da atual Eslováquia passou a ser o centro do Império de Samo. Um Estado eslavo, conhecido como Principado de Nitra, surgiu no século VIII e seu governante, Pribina, consagrou a primeira igreja cipado formou o cerne do Grande Império Morávio. O zênite do império eslavônico foi atingido com a chegada de São Cirilo e de São Metódio em 863, durante o reinado do príncipe Rastislau da Morávia, e com a expansão territorial empreendida pelo rei Zuentibaldo I.

Inscrição romana em Trenčín
Extensão da Grande Morávia durante o regime de Svatopluk I

Após a desintegração do Grande Império Morávio no início do século X, os magiares anexaram gradualmente o território da atual Eslováquia. No final daquele século, o sudoeste da região foi integrado a um cada vez mais forte Principado da Hungria, que se tornou o Reino da Hungria após 1000. A maior parte da Eslováquia estava incorporada ao Reino da Hungria por volta de 1100 e sua região nordeste, por volta de 1300. Ao longo de quase dois séculos, o território foi governado de modo autónomo, com o nome Principado de Nitra, dentro do Reino da Hungria. Surgiram assentamentos eslovacos no norte e no sudeste da atual Hungria. A composição étnica diversificou-se com a chegada dos alemães dos Cárpatos, no século XIII, e dos valáquios, no século XIV, ademais dos judeus.

A invasão mongol de 1241 resultou numa enorme perda populacional e fome. Não obstante, durante a Idade Média a região caracterizava-se por cidades florescentes, pela construção de diversos castelos de pedra e pelo desenvolvimento artístico. Em 1465, o rei Matias Corvino fundou a primeira universidade do que é hoje a cidade de Bratislava; a universidade foi fechada em 1490, após a morte do monarca.

Com a expansão do Império Otomano em território húngaro e a ocupação de Buda no início do século XVI, a capital do Reino da Hungria (com o nome de Hungria Real) transferiu-se para Presburgo (a atual Bratislava) em 1536. Mas as guerras com os otomanos e as frequentes revoltas contra a monarquia dos Habsburgos também causaram destruição, em especial nas áreas rurais.

Período contemporâneo e Checoslováquia

Ver artigo principal: Checoslováquia
Extensão da Checoslováquia em 1928

A importância da região diminuiu quando os turcos saíram da Hungria no século XVIII, embora Presburgo mantivesse sua posição como capital do reino até 1848, quando o governo foi transferido para Budapeste. Durante a revolução de 1848-49, os eslovacos apoiaram o imperador austríaco, com a intenção de desligar-se da Hungria (então parte do Império Austríaco), no que não lograram sucesso. Durante a Monarquia Austro-húngara (1867–1918), o governo húngaro impôs um processo de "magiarização" à população eslovaca.

Em 1918, a Eslováquia, juntamente com a Boémia e a Morávia, formaram um Estado único, a Checoslováquia, cujas fronteiras foram confirmadas pelos tratados de Saint Germain e de Trianon. Em 1919, durante o caos resultante da fragmentação da Áustria–Hungria, a Eslováquia foi atacada pela República Soviética da Hungria e um terço do território eslovaco tornou-se temporariamente a República Soviética da Eslováquia.

Durante o período entre-guerras, a democrática e próspera Checoslováquia esteve sob contínua pressão dos governos revisionistas da Alemanha e da Hungria, até ser desmembrada em 1939, como resultado do Acordo de Munique celebrado no ano anterior. O sul da Eslováquia foi entregue à Hungria nos termos do Primeiro Laudo Arbitral de Viena.

Sob pressão da Alemanha Nazi, a Primeira República Eslovaca, chefiada pelo fascista Jozef Tiso, declarou-se independente da Checoslováquia em 1939. Aos poucos, o governo tornou-se um regime fantoche da Alemanha. Um movimento de resistência aos nazis lançou-se numa feroz revolta armada em 1944. Seguiu-se uma sangrenta ocupação alemã e uma guerra de guerrilha. A maioria dos judeus foi deportada e desapareceu nos campos de concentração alemães durante o Holocausto.

Após a Segunda Guerra Mundial, a Checoslováquia foi restabelecida e Jozef Tiso, enforcado em 1947, por colaborar com o nazismo. Mais de 76 000 húngaros[12] e 32 000 alemães[13] foram obrigados a abandonar a Eslováquia, numa série de transferências de populações definida pelos Aliados na Conferência de Potsdam.[14] Esta expulsão ainda é fonte de tensão entre a Eslováquia e a Hungria.[15]

Independência e integração europeia

A Checoslováquia passou à órbita de influência da União Soviética após um golpe em 1948. O país foi ocupado pelas forças do Pacto de Varsóvia em 1968, pondo fim a um período de liberalização (a Primavera de Praga) sob a chefia de Alexander Dubček. Em 1969, a Checoslováquia tornou-se uma federação da República Socialista Checa e da República Socialista Eslovaca.

Ao fim do regime comunista na Checoslováquia em 1989, durante a pacífica Revolução de Veludo, seguiu-se novamente a dissolução do país, desta vez em dois Estados sucessores. Em julho de 1992, a Eslováquia, chefiada pelo primeiro-ministro Vladimír Mečiar, declarou-se um Estado soberano, fazendo com que suas leis passassem a ter precedência sobre as do governo federal.

Ao longo do outono de 1992, Mečiar e o primeiro-ministro checo Václav Klaus negociaram os detalhes da dissociação da Checoslováquia. Em novembro, o parlamento federal aprovou oficialmente a dissolução do país a partir de 31 de dezembro de 1992. A Eslováquia e a República Checa tornaram-se assim independentes em 1 de janeiro de 1993, um evento por vezes chamado de Divórcio de Veludo. A Eslováquia continuou a ser uma parceira próxima da República Checa e outros países do Grupo de Visegrád e foi admitida na União Europeia em maio de 2004.

Geografia

Ver artigo principal: Geografia da Eslováquia
O Gerlachovský štít (2 655 m), o ponto mais alto do país.
Parque Nacional Veľká Fatra
O lago natural Štrbské pleso é um importante
destino turístico no Alto Tatra

A paisagem eslovaca é digna de nota em especial pela sua natureza montanhosa, com os montes Cárpatos a desenrolarem-se ao longo da maior parte da metade norte do país. É nos Cárpatos que se situam os elevados picos dos montes Tatra, um destino popular para a prática de esqui e também zona de muitos lagos e vales espectaculares, além de albergarem o ponto mais alto da Eslováquia: o Gerlachovský štít, com 2 655 m. Existem terras baixas nas extremidades sudoeste (nas margens do Danúbio) e sudeste da Eslováquia. Os rios principais, além do Danúbio, são o Váh e o Hron.[carece de fontes]

A Eslováquia é o único país da Europa cuja capital faz parte da fronteira com dois outros países, neste caso a Áustria e a Hungria.[16]

Relevo

A paisagem eslovaca é digna de nota em especial pela sua natureza montanhosa, com os montes Cárpatos a desenrolarem-se ao longo da maior parte da metade norte do país. É nos Cárpatos que se situam os elevados picos dos montes Tatra, um destino popular para a prática de esqui e também zona de muitos lagos e vales espectaculares, além de albergarem o ponto mais alto da Eslováquia: o Gerlachovský štít, com 2 655 m. Existem terras baixas nas extremidades sudoeste (nas margens do Danúbio) e sudeste da Eslováquia. Os rios principais, além do Danúbio, são o Váh e o Hron.[carece de fontes]

Clima

A Eslováquia tem um clima continental com leve influência marinha no sul e oeste. Entre a primavera e o outono, há condições de clima relativamente ameno, mas chuvoso. Os invernos são rigorosos, com frequentes eventos de neve. No nordeste do país, o inverno é mais rigoroso, em algumas áreas montanhosas, a neve permanece durante cerca de 130 dias por ano. A temperatura média inverno é −2 °C, o mês mais frio é janeiro e a área mais fria do país são as montanhosas Tatra; no verão a temperatura média é de 21 °C, o mês mais quente é agosto e a zona mais quente do país é a planície do Danúbio.

Nas montanhas investidas pelos ventos do Atlântico, a precipitação é abundante, superando os 1 000 mm anuais; os montes Tatra tem a maior precipitação pluviométrica (1 500 mm), enquanto para o Danúbio tem condições acentuada secura com uma precipitação média anual abaixo 500 mm. Bratislava tem um clima continental, com quatro distintas estações. O clima é ventoso com marcadas diferenças entre o quente verão e o frio inverno. O mês mais frio é janeiro (temperatura mínima −3 °C, temperatura máxima 2 °C), o mês mais quente é julho (temperatura mínima 14 °C, temperatura máxima 26 °C). A média de precipitação anual varia entre 530 e 650 mm, os meses mais chuvosos são entre junho e agosto.

Vegetação

A flora da Eslováquia é rica em espécies de plantas, devido ao clima ameno e a geologia diversificada. As florestas ocupam cerca de 40% do território nacional. Com o aumento da altitude ocorrem mudanças significativas na vegetação, a qual cria uma fase de crescimento vertical.

A vegetação das montanhas possui várias subdivisões. Acima de 1 000 m de altitude encontradas as florestas de coníferas. As coníferas são representadas por: pinheiro negro, Limba, feijão, zona de pinheiros anões. Acima dessa área, ocorre apenas um matagal. Floração e e vegetação arbustiva sobre íngremes encostas rochosas de calcário. Acima dessa área são apenas pedras cobertas de musgo. A frequência de ocorrência da vegetação diminui com a altitude.Existe ainda a vegetação que não sofre influência direta da altitude, são os salgueiros e choupos que servem de mata cíliar para o rio Danúbio por exemplo.

A vegetação das áreas mais baixas na sua grande maioria é composta por florestas de carpa-carvalho (carvalho, Tilia cordata, vidoeiro, avelã.) De 250 a 300 m acima do nível do mar é possível encontrar principalmente sabugueiro, ligustro, hera, espinheiro-alvar e outros. Nas planícies a intervenção humana ocorreu de maneira mais profunda. O homem plantou árvores frutíferas como a macieira, a pereira, a ameixeira, a cerejeira, azedas, damasqueiros, pessegueiros, groselheiras e também flores: rosas, narcisos e tulipas. Nas encostas ensolaradas do sopé da montanha são encontradas vinhas.

Demografia

Ver artigo principal: Demografia da Eslováquia
Mapa da composição étnica no território eslovaco

A maioria dos habitantes da Eslováquia é etnicamente eslovaca (86%). Os húngaros são a maior minoria étnica (10%) e estão concentrados nas zonas sul e leste do país. Na população estão presentes outros grupos étnicos, como os rom, os checos, os ruténios, os ucranianos, os austríacos, os alemães e os polacos. A percentagem de rom é de 1,7%, de acordo com o último censo (baseado na auto-definição dos inquiridos), mas de cerca de 5,6% com base em entrevistas com representantes municipais e presidentes de câmara (ou seja: com base na definição do resto da população). Note, no entanto, que no caso de ser verdadeira a percentagem de 5,6%, as percentagens de húngaros e eslovacos acima são reduzidas em 4 pontos percentuais.

A constituição eslovaca garante liberdade religiosa. De acordo com dados do censo de 2011, a maioria dos cidadãos eslovacos (62%) pratica o catolicismo de rito latino. O segundo maior grupo considera-se ateísta (13,4%). Cerca de 7,7% são protestantes, 3,8% são greco-católicos (isto é, católicos de rito oriental) e 0,9% são ortodoxos.[17] Da população de judeus que se estimava em 120 000 antes da Segunda Guerra Mundial, restam cerca de 2 300. A língua oficial é o eslovaco, língua pertencente às línguas eslavas, mas o húngaro também é muito falado no sul e desfruta de estatuto de co-oficialidade em algumas regiões.

Cidades mais populosas

Religião

Catedral Santa Isabel em Košice, a maior igreja do país[18]

Estatísticas recentes mostram que os cidadãos eslovacos são na sua larga maioria seguidores do cristianismo com 92,5% da população a identificar-se com esta religião. O grupo mais numeroso é o dos católicos que representam 78,2% dos eslovacos, 11% são protestantes, 3,3% pertencem a outras denominações cristãs onde se destacam os ortodoxos e 7,5% seguem outras religiões ou não são religiosos.[19]

Outros dados, dos censos de 2011 apontam para que os católicos sejam 65,8% (inclui católicos gregos), no entanto esta fonte mostra que 13,4% não são religiosos e que 10,6% dos eslovacos não responderam à questão acerca da religião, que deixa assim quase 11% da população classificada com "religião desconhecida".[20]

Em 2010 o Pew Forum on Religion & Public Life pôs a percentagem de católicos na Eslováquia nos 75,3% [21] e um estudo de 2008 mostrou que 81% dos eslovacos acreditam em Deus, em 1999 eram 83% e em 1990 eram 73%.[22] O judaísmo, antes da Segunda Guerra Mundial, era seguido por 90 000 pessoas enquanto que atualmente são apenas 2 300 os judeus no país.

Governo e política

Ver artigo principal: Política da Eslováquia

A Eslováquia é uma república e uma democracia parlamentarista com um sistema multipartidário. As últimas eleições legislativas ocorreram em 17 de junho de 2006 e as eleições presidenciais, em 3 de abril e 17 de abril de 2004, em dois turnos.

O chefe de Estado é o presidente (atualmente Andrej Kiska, 2014 – presente), eleito pelo voto popular direto para um mandato de cinco anos. O poder Executivo compete quase por completo ao chefe de Governo, na pessoa do primeiro-ministro (Robert Fico, 2012 – presente), que costuma ser o chefe do partido majoritário no parlamento, embora por vezes seja necessário formar uma coalizão majoritária. O primeiro-ministro é nomeado pelo presidente e os demais membros do gabinete, pelo presidente por recomendação do primeiro-ministro.

O poder Legislativo eslovaco incumbe ao Conselho Nacional da República Eslovaca (Národná rada Slovenskej republiky), cujos integrantes são eleitos para mandatos de quatro anos pelo sistema da representação proporcional. A mais alta corte do poder Judiciário eslovaco é a Corte Constitucional (Ústavný súd), que julga questões de matéria constitucional e é formada por 13 juízes, nomeados pelo presidente a partir de uma lista de candidatos apresentada pelo parlamento.

Relações internacionais

A Eslováquia é um dos Estados-membros da União Europeia desde 2004. O país tem sido um participante ativo em exercícios militares conjuntos com os Estados Unidos e liderados pela OTAN. Há uma força conjunta de manutenção da paz Czech-Slovak no Kosovo.

A Eslováquia é um membro das Nações Unidas e participa de suas agências especializadas. É um membro da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), a Organização Mundial do Comércio (OMC) e a OCDE. O país também faz parte do Grupo de Visegrád (ao lado de Hungria, República Checa e Polônia), um fórum de discussão para problemas e objetivos comuns.

A República Eslovaca e a República Checa entraram em uma união aduaneira depois do colapso da Checoslováquia em 1993, o que facilitou um fluxo relativamente livre de bens e serviços. O país mantém relações diplomáticas com 134 países, principalmente por meio do Ministério das Relações Exteriores. Há 44 embaixadas e 35 consulados honorários em Bratislava.

Forças armadas

Ver artigo principal: Forças Armadas da Eslováquia

As Forças Armadas da República Eslovaca compreendem 14 mil soldados. O país aderiu à Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) em março de 2004.[23] Em 2006, o exército transformou-se em uma organização totalmente profissional e o serviço militar obrigatório foi abolido.[24]

As Forças Terrestres da Eslováquia são constituídas por duas brigadas de infantaria mecanizada ativas. As Forças Aérea e Defesa Aérea compreendem uma ala de caças, helicópteros e uma brigada SAM.[24]

As forças de treinamento e suporte compreendem um elemento Apoio Nacional (Batalhão Multifuncional, Batalhão de Transporte, Batalhão de Reparação), uma força guarnição da capital Bratislava, bem como um batalhão de treinamento e várias bases de logística, comunicação e informação. Diversas forças sob o comando direto do Estado-Maior General incluem o 5º Regimento de Forças Especiais.[24]

Subdivisões

Ver artigo principal: Regiões da Eslováquia

A Eslováquia está subdividida em oito kraje (singular – kraj; geralmente traduzido como "regiões"), que têm o nome da sua principal cidade. Esta organização territorial foi instituída em 24 de julho de 1996.

Os kraje estão subdivididos em okresy (singular – okres; geralmente traduzidos por "distritos"). Existem actualmente 79 distritos na Eslováquia.

Slovakiakrajenumbers.png
  1. Bratislava (Bratislavský kraj)
  2. Trnava (Trnavský kraj)
  3. Trenčín (Trenčiansky kraj)
  4. Nitra (Nitriansky kraj)
  5. Žilina (Žilinský kraj)
  6. Banská Bystrica (Banskobystrický kraj)
  7. Prešov (Prešovský kraj)
  8. Košice (Košický kraj)

(A palavra "kraj" pode ser substituída por "VÚC" ou "samosprávny kraj", em cada um dos casos)

Economia

Ver artigo principal: Economia da Eslováquia

Principais produtos de exportação do país (em inglês)

A Eslováquia é uma economia de porte médio que passou por uma difícil transição do planejamento centralizado para uma moderna economia de mercado. As grandes privatizações já foram quase totalmente empreendidas, inclusive no setor bancário, e o investimento estrangeiro acelerou-se.

O país caracteriza-se por uma alta e sustentada taxa de crescimento econômico. Em 2006, a Eslováquia atingiu a maior taxa de crescimento do PIB (8,9%) dentre os membros da OCDE. Estima-se que o crescimento anual do PIB em 2007 chegue a 10,4%, com um nível recorde de 14,3% no quarto trimestre.[25]

O desemprego, que alcançou 19,2% no final de 2001, caiu para 8,9% em março de 2007,[26] devido não apenas ao crescimento econômico, mas também à emigração de trabalhadores para outros países da União Europeia. A taxa de desemprego ainda é uma das mais altas da UE.

A inflação caiu de uma média anual de 12% em 2000 para 3,3% em 2002, mas voltou a subir em 2003–2004 devido ao aumento de impostos e dos preços controlados. Em 2005, chegou a 3,7%. Os principais atractivos para o investimento estrangeiro no país incluem o baixo custo da mão-de-obra, os impostos baixos e o bom nível educacional dos trabalhadores. Nos últimos anos, a Eslováquia tem incentivado a entrada de investimento estrangeiro direto, que cresceu mais de 600% desde 2000 e acumulou um total de 17,3 mil milhões de dólares dos Estados Unidos em 2006.

Cerca de 66% do PIB eslovaco são gerados pelo setor de serviços, 28,7% pela indústria (em especial nas áreas automotiva, eletrônica, de engenharia mecânica, engenharia química e tecnologia da informação) e apenas 3,4% pela agricultura (dados de 2005). Cerca de 40% do território eslovaco é cultivado. As principais culturas incluem trigo, centeio, batata, beterraba, frutas e girassóis.

Os principais parceiros comerciais do país são a Alemanha, a República Checa, a Rússia, a Áustria, a Polónia e a Hungria. A 1 de janeiro de 2009, a Eslováquia entrou oficialmente na Zona Euro tendo adoptado como moeda oficial, o euro; tornando-se assim no 16.º país a entrar na área económica.

Turismo

Centro de Bardejov, um Patrimônio Mundial pela UNESCO

A Eslováquia possui paisagens naturais, montanhas, cavernas, castelos e vilas medievais, arquitetura peculiar, spas e resorts de esqui. Mais de 1,6 milhão de pessoas visitaram o país em 2006 e os destinos mais atraentes são a capital, Bratislava, e o Alto Tatras.[27] A maioria dos visitantes vem do República Checa (cerca de 26%), Polônia (15%) e Alemanha (11 %).[28]

Lembranças típicas da Eslováquia são as bonecas vestidas em trajes típicos, objetos de cerâmica, vidro de cristal, figuras esculpidas em madeira, črpáks (jarros de madeira), fujaras (um instrumento popular na lista da UNESCO) e valaškas (um machado popular decorado) e produtos feitos a partir de cascas de milho e fios, nomeadamente figuras humanas.

As lembranças podem ser comprados nas lojas geridas pela organização estatal ÚĽUV (Ústredie ľudovej umeleckej výroby - Centro de Arte Popular de Produção). A cadeia de lojas Dielo vende obras de artistas e artesãos eslovacos. Estas lojas são encontrados principalmente nas vilas e cidades.

Infraestrutura

Transportes

Trecho da autoestrada D1

Há quatro autoestradas principais - a D1 a D4 - e oito vias expressas - R1 a R8. A maioria delas ainda estão em fase de planejamento. A auto-estrada A6 para Viena liga a Eslováquia diretamente ao sistema de autoestradas austríaco e foi inaugurada em 19 de novembro de 2007.[29] A rede interna de estradas urbanas é feita na forma radial circular. Atualmente, a capital do país experimenta um forte aumento do tráfego rodoviário, aumentando a pressão sobre a rede rodoviária. Há cerca de 200 mil carros registrados em Bratislava (aproximadamente 2 habitantes por carro).[30]

O Aeroporto de Bratislava é o principal aeroporto internacional do país. Ele está localizado a nove quilômetros a nordeste do centro da cidade e serve civis e o governo com voos regulares domésticos e internacionais programados. As pistas atuais suportam o desembarque de todos os tipos comuns de aeronaves usadas atualmente. O aeroporto tem desfrutado de rápido crescimento do tráfego de passageiros nos últimos anos; ele serviu 279.028 passageiros em 2000, 1.937.642 em 2006 e 2.024.142 em 2007. Aeroportos menores servidos por companhias aéreas de passageiros incluem aqueles em Košice e Poprad.[31]

O Porto de Bratislava é uma das duas portas internacionais nos rios eslovacos. O porto conecta Bratislava ao tráfego de embarcações internacional, especialmente a interligação do mar do Norte ao mar Negro através do canal Meno-Danúbio. Além disso, linhas turísticas operam a partir do porto de passageiros, com rotas para Devin, Viena e outros lugares.[30]

Cultura

Ver artigo principal: Cultura da Eslováquia

Gastronomia

Bryndza, ao lado de uma sopa de chucrute
e uma cerveja preta Zlatý Bažant

Como na República Checa, uma das especialidades mais típicas da cozinha eslovaca são os bunhuelos, que também são o alimento mais econômico, que o turista poderá encontrar. Entre os bunhuelos mais populares estão os bryndzove halusky, feitos com queijo de ovelha frito e bacon frito. A sopa mais conhecida é a kapustnica, um rico caldo ao que agrega-se repolho, presunto defumado, salsichas, cogumelos e maçãs. Um tira gosto muito habitual é o sunkova rolka cherenovou, que consta de uma fatia de presunto com creme temperada, com diversas ervas. As sobremesas mais típicas são as crepes (palacinky), especialmente as de chocolate.

Com a divisão do país, Eslováquia conservou os dois terços dos vinhedos da antiga república. O vinho eslovaco é de boa qualidade e muito barato. Existem também, excelentes vinhos espumosos. Encontrará além, as principais bebidas da Europa. O país conta também com uma rica variedade de bebidas destiladas, as mais populares são a Borovička (destilada a partir de um tipo de pinho), a Slivovica (destilada de um tipo de ameixa) e a Hrušky (feita a partir da pera). Em qualquer PUB do país é simples de encontrar tais bebidas, a hospitalidade do eslovaco é bastante amistosa quando a conversa é sobre álcool. Uma outra bebida muito popular na Eslováquia é o Tatratea, um destilado feito a partir de ervas, no qual os mais tradicionais costumam ser muito forte na quantidade de álcool mas muito saborosos no paladar, Tatra é o nome dado a uma grande cadeia de montanhas na Eslováquia e Polonia, a fábrica desta bebida se encontra próxima a região. 

Feriados

Feriados
Data Nome em português Nome local Observações
1 de Janeiro Dia da Implantação da República Eslovaca Deň vzniku Slovenskej republiky  
6 de Janeiro Epifania Zjavenie Pána  
Março, Abril Sexta-Feira Santa Veľkonočný piatok Festa Móvel
Março, Abril Segunda-feira seguinte à Páscoa Veľkonočný pondelok Festa Móvel
1 de Maio Dia do Trabalhador Sviatok práce  
8 de Maio Dia da Vitória na Europa (sobre o fascismo) Deň víťazstva nad fašizmom  
5 de Julho Dia de São Cirilo Sviatok svätého Cyrila a Metoda  
29 de Agosto Aniversário da Revolta Nacional da Eslováquia Výročie Slovenského národného povstania Os Eslovacos revoltaram-se contra o nazismo alemão
1 de Setembro Dia da Constituição Deň Ústavy Slovenskej republiky  
15 de Setembro Dia de Nossa Senhora das Dores, padroeira da Eslováquia Sviatok Panny Márie Sedembolestnej, patrónky Slovenska  
1 de Novembro Dia de Todos-os-Santos Sviatok všetkých svätých  
17 de Novembro Dia da Luta pela Liberdade e da Democracia Deň boja za slobodu a demokraciu  
24 de Dezembro Véspera de Natal Štedrý deň  
25 de Dezembro Natal Prvý sviatok vianočný  
26 de Dezembro Dia de Santo Estevão Druhý sviatok vianočný  

Ver também

CLICK NA FOTO E VEJA MAIS...